domingo, 26 de Julho de 2009

IGREJA DÁ ORIENTAÇÕES SOBRE A GRIPE A????

Em face do alastrar do vírus, A Pastoral da Saúde propôs um conjunto de sugestões sobre a Gripe A.

Nas missas, sugere-se que a Comunhão seja tomada na mão e que o abraço da paz exclua o contacto físico.
Estamos perante a ameaça de uma "pandemia" através de uma doença que se transmite com muita facilidade e já é de todos nós conhecida. É a GRIPE A ou GRIPE H1N1.
A missão da Igreja, através da Pastoral da Saúde, está em assistir os doentes, mas também em prevenir as doenças, através da educação para a saúde.O papel do sacerdote e de todos os outros agentes pastorais consiste também em colaborar com a sociedade na prevenção das doenças. O sacerdote, sobretudo se presidir a uma comunidade cristã, é um agente social da maior importância.Perante a ameaça da GRIPE A, o que fazer?
1. Aconselhar todos os cristãos da sua comunidade a seguirem as orientações dadas pela Direcção Geral da Saúde - Ministério da Saúde, na prevenção desta doença, como sejam:- Lavar as mãos com água e sabão com muita frequência.- Se tossir ou espirrar, cobrir a boca e o nariz com um lenço de papel, a deitar fora de imediato.- Se ficar doente, permanecer em casa.- Evitar o contacto com pessoas com gripe.
2. Nas celebrações litúrgicas, recomenda-se:- Aos Ministros da Comunhão, Sacerdotes e Ministros Extraordinários, que purifiquem as mãos com solução anti-séptica, antes da distribuição da comunhão.- Aos fiéis, que quanto possível, recebam a Comunhão na mão e não na boca, aliás segundo prática secular na Igreja.- A todos, que reduzam o abraço da paz a um pequeno sinal ou inclinação da cabeça sem o contacto físico.
3. Nos templos pede-se também para:- Manter vazias as "pias de água benta" às portas da igreja, para não as tornar um foco de transmissão do vírus.- Ter a Igreja suficientemente arejada, sobretudo em atenção ao número de fiéis nas celebrações dominicais.Deve evitar-se todo o alarmismo, mas é da maior necessidade que a Igreja colabore nos programas de prevenção da Gripe A.
NOTA: Estas orientações não são normas litúrgicas, são sugestões suficientemente claras para prevenir desde já a expansão da pandemia. É um conselho útil e provisório para o tempo de difusão da Gripe A.
E em Telhado??
Ainda este fim de semana esperava já esta divulgação na paróquia mas tal não aconteceu. Agora , tempo de férias em que se verifica uma circulação permanente de pessoas de diversos cantos do mundo, facilitando a transmissão e propagação do vírus. E nós continuamos a ser imprudentes e temerosos. Julgamos que é só para os outros. Mas é necessário colocar em prática as medidas orientadoras do departamento da Pastoral da Saúde.
Comungar na mão não é nenhuma imposição mas pode ser um dever. Possivelmente é necessário ensinar aos fiéis como devem proceder. E quais as razões deste procedimento. Ensinar a forma da colocação das mãos. Basta simplesmente ensinar! É tão simples.
Quanto ao abraço da paz, é apenas uma pausa. Os fiéis, desde que prevenidos, e com uma explicação dos motivos entenderão. E com um simples olhar, um acenar a cabeça, pode ser dado este gesto tão nobre.
O povo entende. Não é necessária eloquência nem muito menos palavras agressivas. Apenas falar-lhe ao coração. E tal como o povo diz: as abelhas não se apanham com vinagre.
E insisto, é das pequenas coisas que nascem as grandes.
Vamos parar o vírus antes que ele nos páre a nós.

SUGESTÃO DE FÉRIAS: VIAGEM MEDIEVAL EM SANTA MARIA DA FEIRA

Neste início de Férias são muitas as propostas para disfrutar e tirar partido das coisas boas e belas da vida. Pela varieadade, diversidade são muitas e tentadoras. Verão não significa somente praia. Tantos locais a visitar pela sua peculariedade, beleza, pela história. Felizente, por todo o país há ofertas variadas a não perder. Uma das mais próxima de nós, fica a 73kms para Sul: A VIAGEM MEDIEVAL EM TERRA DE SANTA MARIA DA FEIRA.

É uma Feira Medieval a não perder. Primeiro pela organzação, tudo funciona muito bem; em sugundo lugar, parece que recuamos uns séculos e envolvemo-nos com a história e na história. São as justas, os combates, os jogos tradicionais, o contacto com os diversos estratos sociais (o clero, a nobreza e o povo); nas ruas vemos os corpetes, a malha de ferro e as sandálias que palmilham em cada canto e rua. Por todo o lado cheia a história.

Diariamente assiste-se a espetáculos. São diversos os grupos que deambulam pelas ruas e presenteiam os visitantes com cânticos, com teatro, com lutas...
Este ano é já a 13ª edição da Viagem Medieval em Terra de Santa Maria que vai decorrer de 30 de Julho a 9 de Agosto de 2009, revivendo-se os primeiros anos do reinado de D. Afonso IV, o Justiceiro e depois o Bravo, que se destacou pelas reformas legislativas e judiciais que implementou e que duraram largos séculos.

Em 2008, recebeu cerca de 50.000 visitantes diariamente. Por isso, para quem tem possibilidade de dar uma escapadela durante a semana será o ideal. Estaciona com mais facilidade e a confusão é menor.

Vale a pena ir. No fim o desejo é regressar no ano seguinte. O ideal é chegar pelas 18h. Ambientar-se e comear por dirigir-se às barraquinhas onde, na sua maioria, servem o porco no espeto (ver fotos). As deliciosas sandes regadas por sangria ou outros néctares. Para os mais exigentes também há refeições de faca e garfo e pratos bem apetitosos. Mas isso já noutro sector. Mas é mais agradável saborear aquela carne acabada de assar ali frente aos nossos olhos.

Depois de comer, não esquecer que esta feira está recheada com os mais deliciosos doces conventuais. Hummmm... e aquelas rabanadas da esquina que são uma delícia! A sericaia, os papos de anjos, as barrigas de freira, as bolas do frade; as queijadinas; É de perder a cabeça e esquecer os diabetes ou o colesterol.

Então já de estômago aconchegado, é hora para ver o artesanato; observar a confecção das fogaças, doce tipico de Santa Maria da feira; aproveitar para espreitar as barracas dos chás, pois vão ser necessários se a carne foi fraca e a gula foi tentadora; e por essas zonas lá estão todo o tipo de licores e para todos os gostos e variedades; as sangrias e limonadas. É altura para ganhar forças e subir ao castelo que ao longo do percurso encontramos os rituais das bruxarias e o lago dos feitiços. São inúmeras as barracas de cartomantes, astrólogos, bruxos e adivinhos. Depois é regressar novamente à base e não sair sem tomar e provar mais uma iguaria.

A entrada é gratuita. Vale a pena porque Santa Maria da Feira é a capital das feiras medievais. Para os que não podem nesta data tem outras feiras durante o mês de Agosto: Penha Garcia 10 a 13 ; Silves: 8 a 16; Serpa: 21 a 23; Castro Marim27 a 30 de Agosto; Em Setembro: Sabrosa: 5 e 6; Idanha a Nova 14 a 18.
Aos que visitarem.... depois comentem e digam como foi....




sábado, 25 de Julho de 2009

CANDIDATOS À JUNTA DE FREGUESIA DE TELHADO

A politica nesta terra já mexe. Na segunda feira, dia 20, a coligação PSD/PP, apresentou publicamente os 47 (faltando 2 candidatos:Delães e Outiz) candidatos às juntas de freguesia nas próximas autárquicas. Por Telhado, a coligação escolheu Virgílio Gomes.
Quanto ao PS, julgo ainda não ser oficial, mas, o candidato é Manuel Augusto.
Bem, agora falta saber o que cada um propõe para desenvolver, e repito, desenvolver, esta freguesia.
Espero que se possa debater as ideias, os projectos, as propostas com seriedade e transparência. Não se metam nos jogos de bastidores. Para bem da freguesia vamos falar verdade.
Agora só comento, quando tiver o programa deste dois candidatos ou outros que porventura ainda desconheça.

terça-feira, 21 de Julho de 2009

33 ANOS DE ESCUTISMO EM TELHADO. PARABÉNS!!

No fim de semana, 11 e 12, o Agrupamento 464 desta paróquia de Telhado fez o seu acampamento anual, celebrando assim o seu 33.º Aniversário. Parabéns pela vossa vitalidade e energia. Estão no bom caminho.

É o movimento da paróquia que consegue agregar cerca de 90 jovens (Lobitos, exploradores, pioneiros, caminheiros e chefes). E, é bem verdade que após a entrada de jovens do sexo feminino para o agrupamento, o mesmo rejuvenesceu e cresceu. Também aqui vemos o papel da mulher na capacidade de mobilizar e motivar a presença dos outros

Apesar, do Ano Paulino, oficialmente, já ter terminado, o agrupamento quis apresentar, representar e viver as viagens de S. Paulo.

Foi um trabalho de 11 patrulhas e o envolvimento de algumas famílias das suas famílias, que acolheram as diversas patrulhas e aí jantaram.

Representaram as viagens de s. Paulo, relativas às 14 Cartas ou Epístolas: Romanos, I Coríntios, II Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, I Tessalonicenses, II Tessalonicenses, I Timóteo, II Timóteo, Tito, Filémon, Hebreus. Bem como a elaboração de um desenho alusivo a cada viagem.

Depois, deslocaram-se para o local do acampamento para o fogo de conselho. Aqui, todo o agrupamento e muitos dos seus familiares assistiram às diversas representações.

No domingo, o dia principal onde diversos fizeram a sua promessa.

Ao longo de 33 anos, muitos foram os jovens que fizeram parte deste agrupamento, nomeadamente a minha pessoa. Ainda me recordo do tempo de Lobito e explorador. Pessoas e colegas que nos marcaram para sempre. Momentos e saídas que se recordam com alegria. Ainda sou do tempo da "badalhoca do sr. Zé Vale". Lá íamos sentados na carroça... contentes, divertidos, animados e orientados pelas chefes: Teresa Alves, ainda hoje em exercício e, pela chefe Fátima (actualmente Irmã Fátima Magalhães).

Julgo ser necessário recordar a fundação do Agrup., os seus fundadores e todos aqueles que exerceram chefia ou foram responsáveis pela sua manutenção até à actualidade. É necessário prestar homenagem, reconhecimento. Pois, os movimentos não subsistem por si próprios mas sim pelo esforço das pessoas e com as pessoas.

Talvez os pais de muitos jovens nem sequer reconhecem o papel fundamental do escutismo na vida dos seus filhos. O envolvimento com os outros jovens, a aprendizagem, o rigor, a ocupação em tarefas sadias e construtivas de personalidade.

Foram e são muitos aqueles que, no domingo a domingo tiram do seu tempo particular e familiar para se disponibilizar e partilhar com estes jovens. Desempenham o papel de amigos, educadores e orientadores.

Entendo que não se deveria deixar vingar a ingratidão. É preciso reflectir sobre a vida deste agrupamento. Foram muitos os que ali crescerem e ajudaram a crescer. Já lá vão 33 anos.
Reconhecer e agradecer pode ajudar a corrigir. Não tenhamos medo nem vergonha da história da nossa terra. E aqueles que foram parte activa nela devem ser lembrados. Mesmos aqueles acontecimentos mais "negros" fazem parte desta terra. Alguns podem querer esconder ou apagar os factos e as pessoas. Mas pertence à história.

Aqui ficam algumas fotos cedidas por Rafael Passos.








MOVIMENTO ECLESIÁSTICO 2009

Tal como é habitual, o Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, no dia 18, procedeu a diversas nomeações sacerdotais. Aqui faço referência às nomeações que afectam freguesias ou sacerdotes que muitos conhecem.
- Cón. Guilherme Frederico Malvar Fonseca dispensado, a seu pedido e por razões de idade, da paroquialidade de S. Pedro de Escudeiros.
- P.e Manuel Soares de Magalhães dispensado da paroquialidade de S. Miguel de Seide, Arciprestado de Vila Nova de Famalicão, continuando com a paroquialidade de S. Silvestre de Requião.
- P.e Armindo Paulo da Silva Freitas nomeado pároco de S. Miguel de Seide, Arciprestado de Vila Nova de Famalicão, em acumulação com S.ta Maria de Landim e Divino Salvador de Bente, do mesmo Arciprestado.
P.e José Carlos Fonseca Veloso dispensado da paroquialidade de S.ta Lucrécia de Louro e de S. Tiago de Outiz, do arciprestado de Vila Nova de Famalicão e ficando a colaborar com o P.e Armindo Paulo da Silva Freitas e P.e António Ferreira Machado, particularmente, no que concerne ao Centro Social Paroquial de Landim, Centro Social Paroquial de S. Cosme do Vale e Centro Social Paroquial de Seide.
- P.e Daniel de Sousa Neves nomeado pároco de S.ta Lucrécia de Louro e de S. Tiago de Outiz, Arciprestado de Vila Nova de Famalicão, ficando a integrar a Equipa Sacerdotal onde é moderador o P.e Paulino Alfredo de Oliveira Carvalho;
- P.e José Luís dos Santos Matos, dispensado da paroquialidade de São Mamede de Sezures, continuando com a paroquialidade de S.ta Maria de Arnoso e de S. Miguel de Jesufrei.
- P.e António Ferreira Machado nomeado pároco de S Mamede de Sezures em acumulação da paroquialidade de S. Martinho do Vale e S. Cosme e do Vale.
São estas algumas das nomeções. Para quem desejar saber todas as outras nomeações consultar:

segunda-feira, 20 de Julho de 2009

BRAGA CONTA COM 7 NOVOS PADRES

O Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga presidiu, ontem, à tarde, na cripta da basílica do Sameiro, à Ordenação de sete padres:
Alexandre Agostinho Teixeira de Sá, natural de Bairro (Vila Nova de Famalicão);
Daniel de Sousa Neves, de Covas (Vila Verde);
Luís Eugénio Couto Baeta, de Forjães (Esposende);
Manuel Baptista Rodrigues Quinta, de Fornelos (Barcelos);
Miguel Reis Lorga Alves de Miranda, de Vila do Conde;
Paulo Sérgio Rodrigues da Silva, de São Cristóvão de Selho (Guimarães) e
Tiago André Fernandes Freitas, de São José de São Lázaro (Braga).

D. Jorge Ortiga, defendeu ontem que os padres devem ter especial preocupação por actuar no âmbito pastoral de forma a credibilizar a Igreja que representam perante as comunidades.
«Só a unidade, doutrinal e pastoral, dá capacidade para a Igreja mostrar que merece credibilidade», afirmou o prelado na homilia da missa a que presidiu e em que ordenou sete novos padres para a Arquidiocese de Braga. Falando para uma multidão de milhares de fiéis e centenas de presbíteros, o também presidente da Conferência Episcopal Portuguesa enumerou uma série de «itinerários» que gostaria que o clero confirmasse ou percorresse «de novo». (Diário do Minho)

Mais: «Para vós, caríssimos ordenandos, e para todo o presbitério de Braga, gostaria de pedir ao Senhor que, na linguagem de Jeremias, nenhum seja daqueles pastores que "perdem e dispersam as ovelhas do meu rebanho", que as "escorraçam sem terem cuidado delas" mas pastores com a consciência de que são dados (enviados) pelo Senhor para reunir e apascentar sem medo ou sobressaltos pois nenhuma se perderá por causa da muita solicitude, compreensão, acolhimento, ternura


35 NOVOS SACERDOTES DIOCESANOS ESTE ANO

Este ano são ordenados 35 novos sacerdotes diocesanos, menos um do que em 2008.
Braga com sete sacerdotes ordenados, é a diocese com maior número de novos padres; em 2008, apenas se ordenou um presbítero;

A diocese do Algarve ordenou este ano quatro sacerdotes, contra nenhum em 2008, seguida de Lisboa, Porto e Viseu, com três sacerdotes cada. No ano passado foram ordenados oito padres em Lisboa, um no Porto e nenhum em Viseu.
As dioceses de Évora, Leiria, Portalegre-Castelo Branco, Santarém e Setúbal, sem qualquer ordenação este ano.
Para as dioceses de Leiria e de Santarém será o segundo ano consecutivo sem ordenação de sacerdotes diocesanos.


ESTATÍSTICAS:

As recentes estatísticas oficiais dizem respeito a 2007.
Nesse ano registaram-se 31 ordenações diocesanas e cinco de ordens religiosas, número insuficiente para compensar os 80 óbitos e os cinco abandonos da vida sacerdotal verificados nesse ano.

Os dados estatísticos de 2007 indicam que 90 por cento da população portuguesa se afirma católica, com destaque para a diocese de Portalegre-Castelo Branco, com 99 por cento, seguindo-se, com menos um ponto percentual, as de Bragança-Miranda, Lamego, Porto, Viana do Castelo e Vila Real.
As dioceses de Setúbal (74 por cento), Santarém (80), Beja (83) e Lisboa (84) são as que apresentam as percentagens mais baixas de católicos entre as respectivas populações.

A 31 de Dezembro de 2007, a Igreja Católica tinha 3777 sacerdotes, dos quais 2834 diocesanos e 943 religiosos, além de 312 membros de ordens religiosas masculinas e 5881 freiras.

Comparativamente a 2006, havia menos 45 sacerdotes diocesanos, mas mais 54 padres ordenados por ordens religiosas, mais um frade e mais cinco freiras.

Em 2007, 24 das 4386 paróquias não eram administradas por sacerdotes, mais quatro do que em 2006, mas nenhuma estava totalmente vacante, isto é, sem apoio de um padre.
Das 24 paróquias, 15 eram administradas por diáconos permanentes e nove por religiosas, sob orientação de um sacerdote.

Com uma área de 5 000 quilómetros quadrados, a diocese do Algarve era a que tinha menor número de padres, 56, entre diocesanos e religiosos, enquanto a de Angra, com 2243 quilómetros quadrados, possuía 151 sacerdotes, dos quais oito pertencentes a ordens religiosas.
A diocese do Porto (3010 quilómetros quadrados) é a que tem ao seu serviço o maior número de sacerdotes: 559, dos quais 347 são diocesanos e 212 de ordens religiosas.
Em termos absolutos, Braga é a diocese com mais padres diocesanos, 457, apoiados por 90 padres religiosos, com um total de 547 sacerdotes.

A diocese de Lisboa tem, por seu lado, o maior número de padres pertencentes a ordens religiosas: 296, mais do que os 242 sacerdotes diocesanos.Os seminários diocesanos e religiosos eram frequentados em 2007 por 468 candidatos ao sacerdócio, menos sete do que no ano anterior.

quinta-feira, 16 de Julho de 2009

RECOLHA DE SANGUE

A Associação de Dadores de Sangue de Famalicão promove, no próximo domingo, dia 19, à colheita de sangue que será realizada, no Salão Paroquial de Telhado das 9h00 às 12h30 pelo Instituto Português do Sangue do Porto.
Dar sangue é dar vida. É um gesto que não custa nada. A maior parte dos cidadãos pode fazer esta dádiva. Quem pode dar sangue?

Ter um bom estado de saúde, hábitos de vida saudáveis, peso igual ou superior a 50kg e idade compreendida entre os 18 e os 65 anos.

Para uma primeira dádiva, o limite de idade é aos 60 anos. Os homens podem dar sangue de 3 em 3 meses (4 vezes/ano) e as mulheres de 4 em 4 meses (3 vezes/ano) sem qualquer prejuízo para si próprios. Uma unidade de sangue total representa aproximadamente 450ml. Cada pessoa tem em circulação 5 a 6 litros de sangue, dependendo da sua superfície corporal. O sangue doado é rapidamente reposto pelo nosso organismo. Não há qualquer possibilidade de contrair doenças através da dádiva de sangue, pois todo o material utilizado é estéril e descartável e usado uma única vez.

Não dê sangue se:

- alguma vez utilizou drogas por via endovenosa;
- teve contactos sexuais a troco de dinheiro ou drogas;
- sendo homem ou mulher, teve contactos sexuais com múltiplos(as) parceiros(as).

Se foi parceiro sexual de:

- qualquer dos grupos anteriores;
- seropositivo para o Vírus de Imunodeficiência Humana
– VIH;- portador crónico do Vírus da Hepatite B e Hepatite C
– VHB, VHC.

E, ainda se:

- tem história familiar de Doença de Creutzfeldt-Jakob e variante – DCJ, vDCJ;
- fez tratamento com hormona de crescimento, pituitária ou gonadotrofina de origem humana;
- fez transplante de córnea ou dura-máter;
- fez transfusão;- tem Epilepsia, Diabetes insulino-dependente ou Hipertensão grave;
- teve Paludismo/Malária nos últimos 3 anos;
- teve parto nos últimos 6 meses; está a amamentar;
- foi operado nos últimos 6 meses;
- fez endoscopia nos últimos 6 meses;
- fez tatuagem ou piercing nos últimos 6 meses;
- teve um novo(a) parceiro(a) sexual nos últimos 6 meses.

(Fonte: Instituto Português do Sangue)

domingo, 5 de Julho de 2009

SALVADOR CABRAL: PADRE OU POLÍTICO?

Foto Jn
A notícia da candidatura do Padre Salvador Cabral, pároco de Nine, Arnoso Santa Eulália e Louro(?), a candidato a presidente da Assembleia Municipal de Vila Nova de Famalicão, surprendendeu-me. E julgo, que nos dias que correm, surpreende qualquer cidadão, crente, cristão e católico. Afinal o que leva o Sr. Pe Salvador Cabral a prescindir de tempo do seu rebanho para se dedicar ao serviço público?

A ambição? O protagonismo? Outros interesses pessoais?
Será mesmo necessário um padre na Assembleia Municipal tal como ele diz "outras pessoas apoiam-me e pedem-me para moralizar a política" (JN 2606-2009).
E quem vai moralizar as comunidades que preside e que lhe foram confiadas? Continuará a ter tempo para dedicar ao seu rebanho?
No ambão, é o padre ou o político a fazer a homília?
Compreendo, os actores vestem e "encarnam" diversos papeis. Posso concluir que o Padre Salvador cabral, chega à sacristia e diz: aqui está o padre salvador Cabral; depois, já no adro da igreja, apresenta-se como o político Salvador Cabral que vai pôr a moralidade na política. É assim tão fácil?

Não me preocupa a sua candidatura, nem muito menos o partido que se candidata. Como cidadão tem esse direito. E o facto de ser padre, não deixa de ser cidadão. Mas ser padre: homem de Deus, construtor de união entre os fiéis, de convergência, promotor do bem, anunciador da Boa Nova de Jesus.

Sr. padre Salvador Cabral, só lhe resta uma coisa: ou ser político ou padre. Se quer continuar com a sua candidatura deve suspender a suas funções paroquiais, tal como defendem alguns politólogos e a própria hierarquia da igreja.

"Um padre tem que ser padre a tempo inteiro, ser padre para todos e, ao fazer parte de um partido político, passa a ser padre mais para uns que para outros", referiu o arcebispo de Braga e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), D. Jorge Ortiga, comentando assim a candidatura do padre Salvador Cabral; e prosseguiu, "soube da candidatura à Assembleia pelos jornais porque ninguém falou comigo sobre o assunto". "Não sei se o senhor padre de Nine sabe o significado da palavra obediência". (Jn 26-07-2009).

"Ser padre implica universalidade e isenção", salientou D. Jorge Ortiga, em declarações à Agência Lusa.

Na apresentação da candidatura, o padre Salvador Cabral, à Assembleia Municipal de Famalicão, frisou que a entrada na política “não interfere com o papel de padre”. “Aceitei o convite e assumo a candidatura como complemento à minha missão enquanto sacerdote, defensor dos Direitos do Homem e dos Direitos das Crianças, como lutador pela liberdade, igualdade e fraternidade entre os homens, pela justiça social, pela solidariedade e pela paz”. (Correio do Minho, 26-06-2009)

Belas palavras!! Só na política se consegue promover tais direitos? E onde está a missão de sacerdote? Mesmo qualquer leigo tem o dever de denunciar as injustiças, a desigualdades, as violações dos direitos dos mais frágeis.

Segundo as normas do Direito canónico, um sacerdote poderá candidatar-se se não existirem outras pessoas na localidade habilitadas para o cargo ou se o interesse público se sobrepõe ao exercício do sacerdócio.
Até parece que em Famalicão não existe mais ninguém que seja capaz de levar a dignidade à política. É o meu sentimento de revolta. Pois, não devemos misturar política com religião. As duas terão que dialogar mas nenhuma se deverá sobrepôr ou mesmo impôr. Quando tal acontece, invertem-se os papeis e os valores. Afastam-se as pessoas.

Espero que o altar das igrejas não se tranforme num local de propaganda e de promiscuidade. E cada um saiba desempenhar a sua Missão de Padre ou de Leigo.
Não se afaste ainda mais os fiéis da reunião dominical por motivos políticos ou outros interesses.

quarta-feira, 1 de Julho de 2009

UMA BREVE ANÁLISE ÀS ELEIÇÕES PARA O PE

Já passou quase um mês, mas em pleno ano eleitoral, é sempre oportuno falar de resultados eleitorais. Agora, sem os calores e o entusiasmo da proximidade do acto, longe dos ânimos exaltados dos que se vangloriam pela vitória; afastado da melancolia de quem sofre uma derrota. Desculpem lá, mas no dia das eleições raramente se escuta a palavra derrota. Desenganem-se, mas nunca há derrotados. Há sempre um argumentos bem astuto para dizer que não foi uma derrota; diz um, o número de votos aumentou significativamente; outro acrescenta, nós até mantivemos o número de deputados. Ainda bem que é assim, sempre positivo. É pena que no dia a dia o pensamento não seja o mesmo. Seria bom que os políticos arranjassem argumentos e práticas para que o país progredisse e apanhasse o rumo do progresso e do desenvovimento.
Não adianta só as estatísticas e os números para "inglês ver", desculpem, a Europa ver.
Agora, onge de tudo isso, olhando para o quadro onde estão patentes os dois resultados eleitorais ( 2004 e 2009) desta freguesia, para o Parlamento Europeu (PE), podemos tirar diversas conclusões: (Clique no quadro para aumentar) Fonte:http://www.europeias2009.mj.pt.
Em primeiro lugar, verificou-se uma viragem muito acentuada à direita. Se olharmos para 2004, PPD/PSD concorreu em coligação com o CDS-PP que obtiveram um resultado de 43,01% (240 votos); Agora em 2009, concorrendo separadamente, a soma dos dois partidos totaliza 51,53% (405 votos) o que ultrapassa o resultado que o PS obteve em 2004;
Quanto ao resultado do CDS-PP (19,88%), penso que se deve ao facto do candidato, Nuno Melo, ser famalicense. Aqui, julgo estar patente o "coração".

Em segudo lugar, o número total de inscritos passou de 1423 para 1554, um aumento de 131 inscritos (9,2%);

Por sua vez a abstenção reduziu em 2%, em abstracto, pois, numa análise mais detalhada os valores seriam outros. Para isso era necessário comparar se o aumento do inscritos foi no mesmo sentido dos votantes.
Aumentou o número de votos em branco e nulos de 12 para 14 e 5 para 9, respectivamente. Será resultado do descontentamento das políticas? Ou dos políticos?

Estas foram as primeiras numa série de três eleições (PE, Legislativas e Autárquicas). Depois de tanta controvérsia para a marcação das eleições legislativas e autáruicas no mesmo dia, de tantos argumentos a favor e contra, finalmente estão marcadas, dia 27 de Setembro, eleições legislativas e 11 de Outubro, as autárquicas.

Preparem-se que logo no final de Agosto começam as batalhas das palavras, dos discursos bem elaborados, das promessas, a maioria impossível de cumprir. Como sempre, vamos assistir a uma luta onde vale tudo! Infelizmente é a política que vamos tendo. Esperemos que em Telhado haja nível, dignidade e respeito. Discutam-se as ideias, os projectos, a forma de fazer; apresentem-se as prioridades reais e não virtuais. Muito nos falta. Que sejam projectos que dignifiquem a nossa terra. Mas não me cabe a mim, neste momento, dizê-lo. Deixo-o para aqueles que se apresentarão a sufrágio.
Estou curioso por ver as listas dos candidatos. Vamos esperar.
 

likeable stuff